Arquivo mensal novembro 2017

porlutecontraogolpe

Participe com o PCO em Salvador da Análise Política da semana

Participe conosco em Salvador da
Análise política da semana
de Rui Costa Pimenta

Sábado, 04/10, 11h30
Local: Bar São Vicente, Largo Dois de Julho, em frente ao mercado Dois de Julho.

A análise política da semana será realizada normalmente em São Paulo e transmitida ao vivo pelos canais:
www.youtube.com/user/CausaOperariaTV
www.facebook.com/causaoperariatv/

 

Publicado originalmente no facebook do PCO – Partido da Causa Operária – BA

porlutecontraogolpe

Mutirão de coleta de assinaturas pela anulação do impeachment Comite de POA

Todos os domingos o Partido da Causa Operária e os comitês de luta contra o golpe de todo os país realizam os mutirão de coleta de assinaturas como parte da campanha de luta contra o golpe e pela anulação do impeachment. Diante dos recentes acontecimentos, que comprovam cabalmente que o impeachment foi comprado no Congresso Nacional, que foi um crime contra o povo cometido pela direita, a campanha pela anulação ganha ainda mais força.

Os mutirões realizados já demonstraram a popularidade da campanha e confirmam a tendência de se desenvolver uma amplo movimento de luta contra o golpe tendo como palavra de ordem a anulação do golpe.
Neste momento é hora de intensificar a campanha, criar mais comitês de luta contra o golpe e ampliar os mutirões para cada vez mais cidades, para desenvolver esse movimento de massas contra o golpe que está latente no país. É justamente esta mobilização massiva que irá derrotar até mesmo o golpe militar que está sendo orquestrado pela burguesia pró-imperialista.

Em Porto Alegre, o mutirão será no Parque da Redenção perto do Monumento ao Expedicionário.

 

Domingo às 10:00 – 14:00

Redenção – Parque Farroupilha

Parque Farroupilha, S/N, 90040-130 Porto Alegre, Rio Grande do Sul

porlutecontraogolpe

Ato público contra perseguição aos 18 jovens do Centro Cultural São Paulo é no dia 10

A Justiça de São Paulo convocou a segunda audiência no Fórum da Barra Funda em São Paulo do caso dos 18 jovens presos no Centro Cultural São Paulo (CCSP) em 4 de setembro de 2016 por um agente infiltrado do Exército em ação arbitrária e ilegal. No mesmo dia, haverá na frente do fórum ato público contra a perseguição que os jovens sofrem.

No dia 10 de novembro de 2017 ocorrerá a segunda audiência dos 18 jovens perseguidos, que caíram em emboscada realizada por agente infiltrado do Exército. A Justiça de São Paulo marcou a audiência para o Fórum da Barra Funda às 14:30, na Av. Doutor Abraão Ribeiro, 313.

Em 2016, 18 jovens foram levados através de comunicação pelas redes sociais com um espião do Exército a ir a um encontro antes do ato do dia 4 de setembro pelas Diretas. O local marcado foi o Centro Cultural São Paulo (CCSP), que foi cercado pela polícia em ação para a captura dos jovens. Todos foram conduzidos ilegalmente para a delegacia e estiveram ali isolados de contato com advogados e familiares, contudo criminosa do Estado e seus agentes ao desrespeitar o direito básico ao acesso a advogados e familiares. Mesmo assim, as irregularidades não inviabilizaram o processo, que agora pode levar todos a cadeia por associação criminosa e corrupção de menores.
A participação em ato é fundamental para evitar que a perseguição do Estado golpista prevaleça sobre os 18 jovens, por isso é necessário convocar todos para participar do ato.

A campanha já está com evento marcado no Facebook

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

porlutecontraogolpe

Professor fascista que se queixou de censura agora quer censurar o PCO

Rodrigo Jugmann, “professor” da UFPE (Universidade Federal de Pernambuco) e um dos organizadores da tentativa de ofensiva da direita em torno dos estudantes da Universidade, fez, em seus perfis de redes sociais, declarações alegando uma suposta censura que lhe estaria sendo imposta pela UFPE.

Em uma recente transmissão ao vivo, o direitista e adorador do astrólogo Olavo de Carvalho perdeu a cabeça quando tratou de sua tentativa de realização de um evento pela “descomemoração” dos 100 anos de Revolução Russa. Segundo ele – embora não tenha demonstrado qualquer prova -, seu evento teria sido censurado pela UFPE. No entanto, ao invés de fazer uma discussão política em seu vídeo, Jugmann preferiu apenas proferir palavrões para atacar a esquerda.

Não sabemos se houve, de fato, essa censura. No entanto, se realmente ocorreu, desde já nos colocamos contrários a qualquer tentativa de censura que venha acontecer dentro e fora do ambiente acadêmico. Entendemos claramente que a censura não traz nenhum benefício ou ganho político para a esquerda e é um instrumento que, da mesma forma que pode ser utilizada para oprimir um direitista isolado, será utilizada em alguma atividade da esquerda, mesmo que sem nenhum motivo.
O que merece destaque nesse caso é que, embora tanto se queixe dessa suposta censura, Jungmann está promovendo, junto com Olavo de Carvalho, uma campanha de censura ao PCO. Desde acordo com o próprio Jungmann, foi lançada uma “vaquinha” para que os direitistas possam pagar advogados e tentar calar o PCO através do Judiciário. Assim, mais uma vez, os direitistas mostraram seu desprezo pelos direitos democráticos.

Aos pernambucanos que querem se posicionar verdadeiramente contra a censura, o Partido da Causa Operária convida a comparecer à plenária contra o fascismo e a repressão na UFPE, que ocorrerá no próximo dia 6 de novembro, às 15h, promovida pelo Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE. Na plenária, serão esclarecidos todos os acontecimentos da batalha da UFPE e será discutido um calendário de lutas para combater a direita na universidade.

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

porlutecontraogolpe

Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE realizará plenária contra o fascismo e a repressão na próxima segunda-feira

O Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE, que já é conhecido nacionalmente por ter enfrentado a direita como se deve, realizará, no dia 6 de novembro, uma plenária com os estudantes, professores e servidores da universidade. Com o título “Plenária contra o fascismo e a repressão da UFPE”, a atividade tem como principal objetivo mobilizar a comunidade acadêmica para um ato contra uma série de acontecimentos que vêm minando a liberdade de expressão e de organização dentro da instituição.
A plenária ocorrerá a partir das 15 horas, em frente ao Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) da UFPE. Será exatamente no mesmo local onde, há uma semana, o Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE concentrou centenas de alunos para esmagar a ameaça fascista promovida pelos olavetes.
A plenária, que foi anunciada pela primeira vez na última terça-feira, já alcançou uma repercussão enorme. Centenas de panfletos já foram distribuídos, dezenas de cartazes já foram colados e uma intensa campanha nas redes sociais tem sido feita. Desesperados, os coxinhas estão pressionando a UFPE para que esta proíba a realização do evento.
Estão cada vez mais claras as tendências antidemocráticas dos coxinhas. Por isso, é fundamental que os estudantes, professores e servidores se mobilizem para garantir que a plenária seja um sucesso e que a extrema-direita se sinta cada vez mais encurralada pelos setores progressistas da UFPE.

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

 

porlutecontraogolpe

Resistência contra fascistas na UFPE mostra importância da autodefesa

Na última sexta-feira (27), elementos da extrema-direita – skinheads, neonazistas e fascistas – tentaram impedir estudantes e o Comitê de Luta Contra o Golpe de Pernambuco de exibir o documentário “Porque Lutamos! Resistência à Ditadura Militar” e de promover um subsequente debate sobre a iminência de um golpe militar. A extrema-direita, na ocasião, promovia a exibição do filme “O Jardim das Aflições”, do astrólogo Olavo de Carvalho.

O desfecho do episódio marca uma histórica resistência dos estudantes e dos integrantes do Comitê de Luta Contra o Golpe contra a ação violenta da extrema-direita. E demonstra a importância de a classe trabalhadora e o movimento estudantil organizarem sua autodefesa contra os ataques nazifascistas.

Os nazifascistas e skinheads, desde o início, mostraram a que vieram. Conhecidos por seu histórico de violência covarde contra etnias, mulheres e minorias, adentraram as dependências de uma Universidade pública armados com porretes e até com soco-inglês. Não há, assim, argumento no mundo que prospere ao tentar negar a forma mal intencionada como eles agiram desde o início. Eles premeditaram a violência no momento em que saíam de suas casas portando as armas que levaram.

E, o que é ainda pior, armaram-se para, mais uma vez, tentar impor, pela violência, sua agenda de pensamento único, direitista, à sociedade civil. A mesma agenda que já persegue professores e escolas com o Escola Sem Partido e que censura – judicial e extrajudicialmente – obras de arte, exposições, peças, artistas e museus. E que, agora, tenta tirar dos estudantes a liberdade de expressão.

Nenhum estudante adentrou o auditório para provocar os simpatizantes da direita ou tentar impedir a exibição do filme de Olavo de Carvalho. Aliás, muito pelo contrário. A foto que encabeça esta matéria é de cristalina clareza ao mostrar os fascistas invadindo o estacionamento da UFPE, local onde o Comitê de Luta Contra o Golpe exibia o documentário. Foram eles, nazifascistas, que ali apareceram repetidas vezes para insultar, provocar e agredir os presentes e para tentar impedir os eventos promovidos pelo Comitê. O vídeo postado na página do Comitê também mostra isso claramente. A direita tentou distorcer a realidade. Mas, contra fatos, não há argumentos.

Nesse sentido, vale transcrever as palavras do colunista do Jornal GGN, Luis Felipe Miguel, professor titular do Instituto de Ciência Política da Universidade de Brasília: “Falou-se muito, nos últimos dias, da confusão na UFPE em torno do filme sobre Olavo de Carvalho. Pelas informações mais confiáveis, não houve tentativa de impedir a exibição do filme sobre o astrólogo. O que se tentou foi promover paralelamente a exibição de outro filme, sobre a resistência ao golpe, o que me parece adequado e inteligente. Os neofascistas não aceitaram e partiram para o ataque; um deles, ao menos, armado com um soco inglês.”

É preciso que a classe trabalhadora tenha ciência da importância de criar e manter sua autodefesa contra a ofensiva da extrema-direita. Os trabalhadores e estudantes não procuram a violência. Mas, se atacados, devem reagir na mesma intensidade dos ataques dos fascistas.

Nesse sentido, a resistência dos estudantes em defesa de sua liberdade de expressão foi histórica e emblemática. Cerca de 200 estudantes se uniram bravamente contra o ataque da milícia nazifascista e resistiram, colocando-a para correr. Paralisaram, assim, a mão armada e agressora dos nazifascistas e retiraram de seus rostos o sorriso provocador. O skinhead da foto abaixo que o diga.

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

 

porlutecontraogolpe

Organize o mutirão pela anulação do impeachment em sua cidade

Tem crescido constantemente a cada mutirão realizado, a movimentação e mobilização feita pelos comitês de luta contra o golpe. Os mesmos que possuem o intuito de organizar e mobilizar a classe trabalhadora, estudantes, sindicatos e a esquerda para que desperte a luta contra o golpe o qual se encaminha para seu aprofundamento, agora mais que nunca é o momento para a intensificação do comitês já existentes e a criação de novos comitês nos demais estados que ainda não o possui.

A atividade principal dos comitês no momento são os mutirões pela anulação do impeachment realizada todos os domingos em várias cidades do país. Na atividade, militantes reúnem-se em locais de grande concentração para falar com a população sobre o golpe de Estado, fazer a agitação política e coletar assinaturas para ação popular pela anulação do impeachment.  A atividade a cada final de semana cresce, e se torna mais popular. Assim como os Comitês, que com força e orientação política se tornam no momento a única resistência contra o golpe no Brasil.

Portanto, não deixe de organizar o mutirão na sua cidade, convoque a todos dispostos a lutarem contra o golpe e a investida da direita, acesse  http://lutecontraogolpe.com.br   e se informe sobre as atividades realizadas pelos comitês e veja como pode formar um comitê em sua cidade. Baixe a acaopopular  e organize seu mutirão e amplie a adesão da ação popular pela anulação o Impeachment em todo o país.

 

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

porlutecontraogolpe

Coxinhas querem proibir que o movimento estudantil tenha direito de defesa

No último dia 27, “coxinhas” exibiram o filme “O Jardim das Aflições” na UFPE. Baseado na obra do fascistoide Olavo de Carvalho, o filme é uma exaltação a tudo o que danoso ao movimento operário e ao movimento estudantil. Antes da exibição do filme, denunciamos os grupos que estavam por trás da exibição do filme e, apesar das calúnias e falsificações da direita fascista, tudo ficou comprovado quando o evento teve início: skinheads, neonazistas e fascistas se fizeram presentes.

Skinheads, neonazistas e fascistas não têm uma “ideologia diferente” da direita. São capangas contratados pela direita para intimidar e tentar desmobilizar o movimento operário e estudantil pela força. A presença desses grupos em uma universidade representa uma ameaça real à integridade física dos estudantes e ao direito democrático de organização do movimento estudantil. Assim, a coisa mais natural do mundo a ser feito por qualquer pessoa que se considere de esquerda é conclamar os estudantes a se organizarem para se defenderem da ameaça fascista.

Nesse sentido, o Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE convocou os estudantes, professores e servidores paraibanos a se unirem para enfrentar o fascismo, visto que o filme “O Jardim das Aflições” será exibido em João Pessoa. Histéricos, os coxinhas, em seus comentários no Facebook, estão sugerindo fazer uma denúncia do evento do comitê como um caso de “ameaça de violência real”. Vários outros coxinhas também afirmaram ser um “absurdo” a decisão do Comitê, pois isso seria – pasmem – uma forma de censura. Até o diretor do filme, que deveria ser expulso toda vez que colocasse o pé em Olinda – já que ele quer acabar com o carnaval -, comentou em seu perfil no Facebook que o Comitê estava buscando um confronto.

Diante da histeria coxinha, convocamos todas as organizações de esquerda a dar pleno apoio ao Comitê de Luta Contra o Golpe da UFPE e a se organizarem para impedir qualquer tipo de intimidação fascista em qualquer espaço da esquerda. Essa é e sempre foi a política do PCO. Afinal, como lembramos na semana passada, somos o partido que quer socar a cabeça dos fascistas na parede.

 

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

porlutecontraogolpe

Cinco motivos para criar um comitê de luta contra o golpe na sua cidade

  1. Combater a extrema direita:
    Os comitês de luta contra o golpe devem organizar-se para combater ações locais da extrema direita fascista. A exemplo disso o comitê Contra o Golpe de Pernambuco resolveu realizar uma atividade na mesma hora da exibição do filme direitista “O Jardim das Aflições”,  baseado na obra do fascista Olavo de Carvalho, na UFPE no último dia 27. A iniciativa era uma contraposição, uma resposta política à exibição naquela Universidade, os direitistas levaram para a UFPE um bando de mercenários, bate-paus, skinheads etc., vários deles com camisetas e bótons com a inscrição “Bolsonaro presidente”, para tentar intimidar os militantes do comitê.  Atuando de forma combativa, sem se deixar intimidar, os estudantes expulsaram os fascistas, colocando para correr os “valentões” cuja bravura só se mostra quando se trata de agredir, de forma covarde, mulheres, homossexuais e trabalhadores pegos desprevenidos e em minoria.
  2. Coleta de assinaturas pela anulação do impeachment:
    A ação mais correta para derrotar o golpe é a realização de mutirões de coletas de assinaturas em benefício da Ação Popular que visa à anulação do impeachment de Dilma Rousseff junto ao Supremo Tribunal Federal. Conforme o Art. 5º, inciso LXXIII, da Constituição Federal, qualquer cidadão é parte legítima para ingressão com a ação popular, contudo, nossa meta é colher 1 milhão e 300 mil assinaturas com o objetivo de pressionar os ministros do STF para julgar o pedido para anular o impeachment. Link da lista para coleta de assinaturas da ação popular pela anulação do impeachment: http://www.mobai.ch/docs/AP.pdf
  3. Atos pela Anulação do impeachment:
    Já foram organizados em Brasília dois atos pela anulação do impeachment que depôs a presidenta eleita Dilma Rousseff, do Partido dos Trabalhadores, que realizaram ato-debate com parlamentares e seguida marcharam até a frente do STF com faixas, cartazes e palavras de ordem para derrotar o golpe. Devido a uma política totalmente equivocada das direções do movimento de luta contra o golpe, sobretudo a política de “diretas”, o movimento se dissipou por conta da falta total de perspectiva. O movimento de luta contra o golpe entrou em baixa, caiu na paralisia. No entanto, a política correta do PCO e de outros setores de utilizar a campanha pela Anulação do impeachment como eixo para agrupar todos os setores que querem lutar contra o golpe, ofereceu às direções e às organizações de massa uma política real que leva todo o movimento para frente, para o enfrentamento com o regime golpista. O primeiro ato realizado em julho e o segundo ato no dia 11 de outubro demonstraram o reagrupamento de amplas camadas da população que já demonstraram seu rechaço à política dos golpistas, um passo fundamental para a constituição de um amplo movimento das massas contra o golpe.
  4. Criação de novos comitês contra o golpe e realização de mutirões:
    O Partido da Causa Operária está convocando moradores, militantes de diversas organizações, trabalhadores a participarem e formarem Comitês de Luta contra o Golpe de Estado e pela Anulação do Impeachment e contra o eminente Golpe Militar em que o país e a classe trabalhadora foi ameaçado. O quadro político em que o Golpe colocou o país e o refluxo das organizações operárias, deixou de única alternativa para barrar os ataques da direita e desmantelar o Golpe, a criação de comitês Contra o Golpe com agenda de atividades própria para envolver cada vez mais pessoas na luta contra o golpe. Todos os que querem lutar contra o golpe que se desenvolve no Brasil, devem atuar para a construção de Comitês de Luta Contra o Golpe por todo o país. Existe um site dos comitês lutecontraogolpe.com.br, cujo objetivo é informar, orientar e divulgar as ações dos comitês em todo o País. Esta política de criação de Comitês mostrou-se totalmente acertada, impulsionando a luta contra o golpe, no período de capitulação da esquerda, dando um eixo correto de luta para derrotar os golpistas. É necessário aumentar a mobilização em torno dos Comitês, é essencial criar Comitês de Luta Contra o Golpe em todos os estados do País, esta é a tarefa colocada para o próximo período e que o movimento de luta contra o golpe deve se empenhar em desenvolver ao máximo.
  5. Única mobilização real contra o golpe de Estado:
    A campanha pela anulação do impeachment e a formação de centenas de Comitês de Luta contra o Golpe por todo o país são neste momento os centros elementares de uma política para reorganizar a luta contra o golpe. É através desta política que deve-se agrupar os amplos setores que se despertam para a luta política contra os golpistas. Para que possamos desenvolver um amplo movimento de massas capaz de derrotar o golpe e os golpistas.

 

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.

porlutecontraogolpe

Em Pernambuco, a direita sentiu o que é a reação da esquerda

Na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), um grupo de apoiadores do auto-intitulado filósofo Olavo de Carvalho prepararam uma sessão de cinema-debate da autobiografia do guru da extrema-direita na última sexta-feira, dia 27 de outubro.

Logo que souberam da atividade, os militantes do comitê de luta contra o golpe de Pernambuco decidiram organizar uma atividade paralela, próxima à atividade da direita, transmitindo um filme sobre a ditadura militar “Porque Lutamos! Resistência ao golpe militar”.

A direita não contava com a iniciativa e a adesão dos estudantes à convocação da atividade. Com medo, os direitistas tomaram a providência tradicional desses grupos: contrataram alguns brucutus, skinheads neonazistas, amantes de bolsonaro para intimidar os ativistas da esquerda. Alguns deles estavam com cassetetes.

Os dois filmes foram exibidos, mas ao final da atividade, os militantes da esquerda se organizaram para botar para correr os fascistas. Houve confronto.

Não houve não uma consequência grave, apenas uma pessoa de cada lado acabou se ferindo levemente, mas o mais importante do resultado da ação do comitê é político.

Ao mostrar que existe uma reação organizada contra os fascistas, os militantes do Comitê colocaram a direita no seu devido lugar. O maior problema em tempo de ofensiva da direita é a justamente a falta de reação da esquerda, que abaixa a cabeça diante das intimidações dos direitistas que são impulsionados pelas instituições, pela polícia, pelo Judiciário, em suma, pelo aparato estatal dominado pelos capitalistas.

A direita é uma minoria dentro da sociedade que só consegue se impor por meio da força bruta e utilizando os recursos dos grandes aparatos capitalistas, além de todos os que citamos acima, há ainda a imprensa. Com o golpe, a direita não apenas se sente à vontade para ir para a ofensiva como também é criado um movimento artificial como se houvesse uma adesão de massas.

A ação em Pernambuco mostrou como agir diante da direita. É preciso enfrentar à altura.

 

Publicado originalmente no Diário Causa Operária.